BEM BRASIL
BEM BRASIL
Postado em: 11/05/2022 - 15:31 Última atualização: 12/05/2022 - 09:55
Por: Fernanda Marques - Portal Imbiara

Casas com risco de desmoronamento em Araxá seguem sem solução

O IPDSA realizou uma perícia em todas as casas e o laudo vai ser encaminhado para o Ministério Público, que é quem vai dar uma solução para o caso

Situação de uma casa na rua Gustavo Rios, no bairro Morada do Sol. Foto: Arquivo/ Portal Imbiara

A situação de casas que estão com as estruturas rachadas e com risco de desmoronamento nos bairros Morada do Sol e Santa Rita, em Araxá, continua sem uma solução definitiva.  Desde fevereiro deste ano, o Grupo Imbiara de Comunicação vem noticiando que diversas famílias já deixaram suas casas por medo de desmoronamento. 

As casas das ruas Gustavo Rios e da Banheira apresentam grandes rachaduras. O Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável (IPDSA) notificou os moradores sobre o risco eminente de desmoronamento e realizou uma perícia nas casas para saber o motivo das rachaduras, mas até o momento a situação segue sem solução.

Os moradores afirmam que as rachaduras começaram a aparecer após o início de uma obra em um terreno particular na avenida Dâmaso Drumond, onde é retirada grande quantidade de terra que possivelmente está abalando a estrutura das casas. 

Para saber o motivo das rachaduras foram realizados três laudos, sendo um realizado pela Secretaria Municipal de Obras, um realizado pelo proprietário do terreno e um pelo IPDSA.

Superintendente do Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável, Ney Dutra

O superintendente do Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável, Ney Dutra, ,em entrevista ao Portal Imbiara explicou que agora será feita a conclusão dos três laudos. “O nosso laudo final foi concluído nesta quarta-feira (11) e agora vamos fazer uma reunião com os demais envolvidos neste levantamento para enviar uma conclusão ao Ministério Público para ter um resultado concreto e definitivo para que seja solucionado o problema”, afirma.

“Para realização dos laudos tivemos o apoio das Secretarias Municipais de Serviços Urbanos, de Segurança Pública, Obras e Mobilidade Urbana, também da Copasa e da Cemig, que tem redes nos bairros. Foram realizadas vistorias nas casas e apresentadas análises ao IPDSA. Com esse apoio, vamos concluir um laudo completo pra ter uma solução”, explica Ney Dutra.

O superintendente ressaltou que será definida uma conclusão que será apresentada à comunidade e aos proprietários da região. “Os moradores estão muito preocupados devido à complexidade da situação. Tem razão de estarem preocupados, mas acho que não é razão para preocupação maior, porque não tivemos nenhuma vítima no local e os moradores das casas com risco de desmoronamento foram afastados”, completa.

Ney Dutra explica que os estudos estão sendo realizados desde fevereiro. “Fizemos esses estudos completos para ter uma solução e acredito que esses três meses de estudos foram necessários para uma boa conclusão. O Ministério Público é quem vai definir, analisar e dar uma conclusão objetiva e técnica sobre o caso, que vai ajudar a todos”, finaliza.

Situação de uma casa na rua Gustavo Rios no bairro Morada do Sol

 

Situação de uma casa no bairro Morada do Sol

Obra na avenida Dâmaso Drumond