BEM BRASIL
BEM BRASIL
UDIKAR
UDIKAR
Postado em: 01/09/2021 - 17:09 Última atualização: 02/09/2021 - 12:25
Por: Felipe Madeira - Portal Imbiara

Com 25 matérias em pauta, nenhum projeto é votado na última reunião da Câmara de Araxá

Sete dos 15 vereadores ainda compareceram ao plenário trajados com camiseta amarela e dizeres conhecidos na história por serem fascistas

Vereadores posam para foto com Reginaldo Costa e Silva (ao centro, de camisa branca), recebido na casa para colher assinaturas para projeto SOS Represa. Foto: Bruna Isabella/Portal Imbiara

Reunião ordinária realizada na tarde desta terça-feira (31) pela Câmara Municipal de Araxá não deu andamento em nenhuma das 25 matérias que constavam na pauta. Dentre elas, estão projetos de lei de grande relevância a diversos setores da população araxaense, como leis que buscam maior adesão de adolescentes aprendizes na prestação de serviços de empresa vencedora de licitação e atendimento psicológico para mulheres vítimas de violência doméstica. 

Sem andamento ou aguardando aprovação de comissões e apesar de todas as matérias constarem com status “apresentado no plenário”, a maioria dos textos deverão ser votados em reuniões posteriores. Já outros projetos aguardam para serem debatidos em audiências públicas, como é o caso da municipalização do ensino e de regularização do serviço de mototáxi. 

Com a reunião recheada por indicações e moções, outros dois projetos de lei foram apresentados pelas vereadoras Maristela Dutra (Patriota) e Leni Nobre (PT). São eles, respectivamente, o projeto que prevê a mudança de nome de rua e o projeto que autoriza a instituição do serviço de psicologia ao estudante da rede municipal de ensino. Nenhuma matéria da prefeitura foi apresentada nesta reunião. Com os projetos apresentados, agora são 27 matérias estagnadas e aguardando parecer.

Ainda na última reunião, sete dos 15 vereadores compareceram ao plenário trajados com camiseta amarela e dizeres que ficaram conhecidos na história por serem utilizados pelo partido fascista português “União Nacional", seguidos das palavras “Família, Deus e Pátria”, lema da Ação Integralista Brasileira (AIB), movimento considerado como fascismo brasileiro de 1930.

Esta manifestação acontece em momento de instabilidade política e econômica no país, onde embates têm rondado os três poderes, colocando em xeque a própria democracia. Esse nacionalismo foi expressado em um dia sem sequer um projeto aprovado pela Câmara de Araxá, refletindo dessa forma em poucos benefícios à população.