bem brasil
bem brasil
Postado em: 14/05/2024 - 11:09 Última atualização: 14/05/2024 - 11:13
Por: Alex Sander Xexéu - Portal Imbiara

Resistência: Religiões afro-brasileiras em Araxá se reúnem em celebração cultural do 13 de maio

Celebração marca a simbologia da Abolição da Escravatura

Cantos, rodas de capoeira e manifestações religiosas marcaram a noite de segunda (13) na Árvore dos Enforcados. Foto: Alex Xexéu

Na noite de segunda-feira (13), no Centro de Referência da Cultura Negra em Araxá, foi realizada a Feijoada dos Pretos Velhos, relembrando a Abolição da Escravatura no dia 13 de maio. Representantes das religiões de Matriz Afro-Brasileira estiveram presentes na cerimônia.

Pai Gleidson, do terreiro Pai José do Congo em Araxá, falou sobre a importância da data:“Representamos no dia 13 de maio, o dia dos Pretos Velhos, que sofreram, que morreram e que viveram para que a gente possa desfrutar hoje dos ensinamentos, das energias, da alegria, da fé, da união, de todas as energias boas que deixaram para nós. Sofremos muito com a intolerância religiosa e hoje é um dia de firmarmos nossa fé" explica. 

Jobert Rodrigues, um dos organizadores do evento, destacou a diversidade em celebrar uma data tão importante para a Cultura Negra:“Começamos com a questão da honra à ancestralidade Afro-Brasileira e à ancestralidade Brasileira, através dos nossos Pretos Velhos que se manifestam nas linhas de Umbanda, Candomblé, Quimbanda e outras religiões. Vamos também ter a participação dos grupos de capoeira, Centro de Capoeira Aruandê e Jinga Araxá, além da presença do Congado. Além disso, vamos servir a feijoada dos Pretos Velhos. Libertador, essa é a palavra. É muito raro acontecer esse tipo de evento. Ocupar esse lugar, que é do nosso povo, é muito importante" disse.

Cynthia Verçosa, presidente da Fundação Cultural Calmon Barreto, falou sobre a utilização do Centro de Referência e destacou a importância do local para as manifestações culturais da comunidade:“Esse espaço é para isso, para refletir sobre essa resistência, mostrar como são feitos os trabalhos, como são geridas essas manifestações do Candomblé, Umbanda e Capoeira. Esse lugar é exatamente para abrigar essas manifestações. Este espaço, e não só este, é deles" salienta.